Páginas

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Arena do Morro participa de exposição sobre arquitetura na América Latina

O Arena do Morro recebeu, nessa semana, a visita de Felipe de Ferrari, arquiteto chileno que esta coletando material audiovisual para a exposição multimídia  Building Optimism, que acontece em outubro nos Estados Unidos e ira abordar a arquitetura na na América Latina . Numa tradução livre Construindo Otimismo, em seu nome a exposição revela os tipos de equipamentos que serão o foco central do evento. 
De acordo com Ferrari, o que o trouxe ao Arena foi justamente esse encontro entre a arquitetura funcional e a sua função social dentro de uma comunidade, além da assinatura do escritório suíço Herzog & DeMeuron. A forma com que a construção do Arena foi realizada, com materiais produzidos especialmente para ele, além da perfeita adaptação as condições do local e sua forma de uso, fazem dele um equipamento único.
Mais uma vez, o Arena levando o nome da nossa comunidade e sua forma de vivencia comunitária para o mundo.  

 Ferrari no Arena do Morro
 

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Comunidade aprova uso público para a ZPA-10

Nesta última quinta-feira, 14, representantes dos diversos movimentos sociais e moradores do bairro de Mãe Luiza, reuniram-se no ginásio Arena do Morro, para mais uma vez discutir a regulamentação da Zona de Proteção Ambiental 10 (ZPA-10) e votar, a favor ou contra, os quatro pontos propostos para alteração na proposta do ConCidade: a) que toda faixa de valor construtivo seja de 5%; b) Que a área do terreno privado se transforme em área de uso público; c) Que todo equipamento privado, por exemplo, os motéis, caso sejam colocados à venda, sejam revertidos para a comunidade, sendo compradas pelo município; d) Que haja fiscalização;
A aprovação das propostas foi unânime e, a mais importante, o uso público do espaço em questão foi muito comemorado. Mais uma vez a comunidade de Mãe Luiza demonstra que está a par do que se passa ao se redor, e dá uma resposta firme as autoridades de que este é nosso chão, nosso local de moradia e isso não está aberto para discussão.  
O próximo passo será a construção de um documento, em parceria com representantes da UFRN que estão auxiliando a comunidade, onde irá constar as alterações propostas e aprovadas pela comunidade. Esse documento será exposto aqui, no Jornal Fala Mãe Luiza, e em outros espaços para uma maior apreciação da comunidade, será entregue a equipe do ConCidade no próximo encontro com a comunidade e a Câmara Municipal.

 Moradores reunidos em discussão



segunda-feira, 11 de julho de 2016

Ecos da Missa de 10 anos da partida de Pe. Sabino Gentili

Confira como foi a celebração através das fotos:

Comunidade reunida para celebrar nosso saudoso Sabino

A procissão de entrada contou com os diversos movimentos sociais que conviveram com nosso querido padre

No ofertório, a comunidade ofertou os projetos e instrumentos de trabalho

HOMENAGENS

Crianças da Espaço Livre cantando "Herdeiros do Futuro"
 
Leitura de Texto escrito por Sabino

PJMP - Pastoral da Juventude no Meio Popular

sábado, 9 de julho de 2016

2º encontro comunitário para debater a regulamentação da ZPA-10

A comunidade de Mãe Luiza reuniu-se nesse sábado, 9 de julho,  no ginásio Arena do Morro, para debater e conhecer um pouco mais sobre a regulamentação da  Zona de Proteção Ambiental 10 (ZPA-10). Este foi o segundo encontro, já que ficou acordado com a equipe do ConCidade  - Conselho da Cidade do Natal - o prazo de 45 dias para o debate no bairro das ideias apresentadas na última audiência pública, onde foi apresentado o que deve acontecer quando a ZPA-10 for regulamentada. 
Alguns pontos já foram acordados: a) que toda faixa de valor construtivo seja de 5%, já que a Marinha sugeriu que no seu terreno fosse de 50%; b) Que a área do terreno privado se transforme em área de uso público; c) Que todo equipamento privado, por exemplo, os motéis, caso sejam colocados à venda, sejam revertidos para a comunidade, sendo compradas pelo estado; d) Que haja fiscalização;
Os pontos acordados serão votados na próxima reunião, que acontece quinta-feira, 14, às 19h, também no ginásio Arena do Morro. 

Comunidade reunida no Arena do Morro


ZPA -10 (Proposta de Zoneamento ConCidade)
  1. Subzona de Preservação (SP): compreende a área VERDE que abrange toda encosta do cordão dunar e vegetação associada, limítrofe à Avenida Senador Dinarte Mariz. Uso: preservação Taxa de Ocupação: 0% Gabarito: 0 pavimentos Coeficiente de aproveitamento: 0,0 Permeatilização: 100% ;
  2. Subzona de Conservação 1 - (SC1): Compreende a área AMARELA que abrange os lotes residenciais, limitados a Oeste pela Rua Guanabara, a Norte pelo bairro de Areia Preta, a Leste pela Av. Dinarte Mariz e a Sul também pela Subzona de Preservação (SP). Prescrição: Congelamento: Nada poderá ser construído nem mudado.
  3.  Subzona de Conservação 2 - (SUR1): Compreende a área VERMELHA  que abrange os lotes de uso residencial da localidade da Aparecida, limitados a Norte pela Rua Novo Mundo, a Leste pela Subzona de Preservação (SP) e pela Subzona de Conservação 1 (SC1), a Sul pela Subzona de Conservação 3 (SC 3) e pela Subzona de Preservação (SP), e a Oeste pela Rua Camaragibe. Prescrição: propõe que a SC-2 passe a ser SUR – Subzona de Uso Restrito, uma vez tratar-se de área consolidada, com características de habitação de interesse social. 
  4. Subzona de Conservação 3 - (SC3): Compreende a área AMARELA e abrange o platô dunar onde se localiza o Farol de Mãe Luiza e terras adjacentes. Prescrição: institucional público, atividades cultural, esportiva e turística, dentro dos padrões edilícios sugeridos.
  5. Subzona de Conservação 4 - (SUR 2): Área VERMELHA que abrange os lotes de uso residencial da localidade do Barro Duro, limitados a Norte pela Subzona de conservação 1 (SC1), a Leste pela Subzona de Preservação (SP), a Sul pela Subzona de Conservação 2 (SC2), e a Oeste pela Rua Largo do Farol e a Rua João XXIII.  Prescrição: sugere alterar para SUR, além das demais sugestões relativas à SC-2.
  6. Subzona de Conservação 5 - (SUR3): Área VERMELHA que abrange lotes de usos institucionais e de serviços, limitados ao Norte pela Subzona de conservação 2 (SC2) e Rua Largo do Farol, a Oeste Rua João XXIII, a leste Sul pela Subzona de Preservação (SP). Prescrição:  sugere alterar para SUR, uma vez tratar-se de uso consolidado, com a presença, inclusive, de escola pública, entende que não faz sentido ser restrito o uso e o congelamento da edificação, devendo ser admitida nova construção e/ou reforma, desde que atendidas as prescrições da Lei, opina pela possibilidade de uso residencial e sugere a possibilidade de destinação da área para construção de habitações de interesse social.

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Encontro Pedagógico 2º Semestre 2016

Os espaços de educação do Centro Sócio-pastoral, Casa Crescer e Escola Espaço Livre, retornam as atividades nesta terça-feira, 05, após o recesso de junho. 
O corpo pedagógico da instituição se reuniu na manhã dessa segunda-feira e discutiu algumas temáticas pertinentes ao fazer da prática. Um dos colaboradores nesse processo foi o professor Milton, que trouxe para o debate a questão da importância de cada membro para o grupo e atenção a uma formação solida.

 Professores reunidos em encontro pedagógico

domingo, 3 de julho de 2016

Projeto "Banda Filarmônica de Mãe Luiza" abre inscrições


Estão abertas, a partir dessa segunda-feira, 04, as inscrições para o projeto "BANDA FILARMÔNICA DE MÃE LUÍZA", destinado à jovens de 8 à 15 anos que tenham interesse em aprender a tocar um instrumento musical e fazer parte de uma banda da comunidade. 
Para realizar a inscrição o jovem deve se dirigir a secretaria do Centro Sócio-pastoral, localizado na Avenida João XXIII, s/n, ao lado da igreja católica de Mãe Luiza, das 8h às 11h e das 14h às 17h, com um responsável e documentos de identificação. É pré-requisito estar matriculado na escola. 
O projeto é mais uma iniciativa do Centro Sócio-pastoral Nossa Senhora da Conceição, no intuito de cumprir sua finalidade social na comunidade. A meta é formar uma banda filarmônica, que estará tocando daqui a oito meses e formando jovens musicistas. 
As aulas tem início no dia 19/07, com turmas pela manhã e à tarde, e acontecerão no auditório do Centro até ser finalizado o projeto de uma sala acústica em cima da cozinha da escola Espaço Livre, onde será a sede do projeto e futura "Escola de Música".